Digo Sim

Por Chico Felitti

 -

Blog conta a trajetória de casais que decidiram subir ao altar, em formato de crônica, e traz notícias sobre o mercado matrimonial. É produzido pelo repórter Chico Felitti, que é solteiro.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Elvis de Las Vegas se recusam a celebrar casamentos gays

Por chicofelitti
Elvis não vos declara marido e marido ou mulher e mulher.  Os casamentos celebrados pelo Rei do Rock, uma tradição em Las Vegas, passam por uma crise: a maioria dos imitadores do cantor de “Love Me Tender” se recusa a celebrar a união de pessoas do mesmo sexo, que há menos de um ano foi legalizado em Vegas.São ao menos 12 capelas temáticas em que um juiz de paz se caracteriza de Rei do Rock para celebrar uniões. Nove delas declinam clientes homossexuais, relatam ativistas LGBTT da cidade.

John Maines, 58, imitador do rei do rock há 30 anos e sócio da The Elvis Chapel, onde há mais cinco párocos de topete e costeleta. Todos ali se recusam a unir dois homens ou duas mulheres. “Não somos obrigados a trair nossas crenças, religiosas e do jeito Elvis de pensar por causa de uma lei. Eles têm o direito de se casar, não estamos impedindo ninguém de ser cidadão. É nossa liberdade de expressão que está ameaçada”, diz Maines, enquanto tira um pente do bolso da calça boca de sino branca bordada com lantejoulas de oito cores.

the-elvis-chapel
 A Elvis Chapel, cujos donos se recusam a casar casais gays (Foto Reprodução)
 
A capital dos cassinos é a cidade mais populosa de Nevada, Estado que foi obrigado pela Suprema Corte americana em outubro de 2014 a realizar casamentos de pessoas do mesmo sexo. Entre 2002 e 2014, uma emenda constitucional restringia os casamentos em Nevada à combinação um homem mais uma mulher.

Grupos LGBT de Nevada estão em pé de guerra com essa capela e outras que acusam de discriminação. “Eles vão ter de nos aceitar. Seja por causa dos nossos piquetes, da nossa pressão na imprensa ou porque a lei vai assim determinar”, diz a ativista Taylor Mann, uma morena que, vista à distância de meio quarteirão, pode ser confundida com a atriz Fabiana Karla. Mann afirma que seu grupo, LGBTT Vegas, planeja entrar na Justiça contra cada Elvis que disse não a um casal.

Um caso similar,  de uma doçaria de Oregon que se recusou a fazer um bolo de casamento para dois homens, chegou em fevereiro à segunda instância. O boleiro, que alega “não poder compactuar com atos que vão contra a religião”, perdeu em dois julgamentos, e diz que apresentará recurso “até onde tiver direitos”.

viva-las-vegas-weddings-elvis-pink-caddyRon DeCar, um imitador de Elvis que desde 1999 celebra casamentos gays (Foto Divulgação)

Há outra capela, Viva Las Vegas, que desde 1999 oferece a união celebrada pelo roqueiro topetudo para qualquer casal. “Não vou dizer que estou feliz com a situação, só porque diminui a concorrência. Na verdade, é bem triste. “, diz Ron DeCar, que há 20 anos namora um homem, “ainda sem planos para casamento”.

Em 1999, antes mesmo  de o matrimônio gay ser legal na cidade, ele passou a oferecer uma opção de celebração festiva para casais LGBTT. Hoje, diz fazer ao menos um ao dia.

O intuito de ativistas como Taylor Mann é que todos os Elvis sejam proibidos de discriminar quem querem casar e quem dispensam. Ou, como ela diria: “Tudo bem que eu pessoalmente preferiria ser casada pela Cher, mas teremos o direito de ser casados por Elvis um dia”.

 

oCasal de lésbicas e seu certificado de casamento na capela Viva Las Vegas (Foto Divulgação)

————————–

Curta a página do “Digo Sim” no Facebook aqui.

Blogs da Folha

Mais acessadas

Nada encontrado

Categorias

Publicidade
Publicidade
Publicidade